Início do conteúdo da página
Início do conteúdo da página

Palavra do Reitor

Vértice de oportunidades

Na última segunda-feira, dia 10, tive a alegria de me confraternizar com os novos funcionários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), que passarão a atuar no complexo Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA). Àquela ocasião, reunidos no auditório da Reitoria da UFMA, mais de duzentas pessoas comemoraram o fato de terem chegado ao fim de uma longa jornada iniciada ainda no ano passado, assim que tomaram a decisão de se inscrever num dos certames mais concorridos do Estado e, quiçá, do Brasil, quando foram ofertadas 1.877 vagas distribuídas em três editais. Agora, uma promissora carreira os aguarda no serviço público.

A despeito do mérito individual de cada um e de cada uma – que com seus esforços e dedicação alcançaram esse resultado –, posso dizer que essa vitória é plural: ganhamos todos nós, que fazemos parte da melhor e maior universidade do Maranhão, à qual está subordinado academicamente o HUUFMA.

Lembro que a Universidade Federal do Maranhão foi uma das primeiras a aderir à EBSERH, em janeiro de 2013, juntamente com os hospitais da UNB e do Triângulo Mineiro, quando também foi adotado um plano de reestruturação do hospital. À época, houve oposição de toda a sorte com a invenção de lendas urbanas de que se tratava de uma “privatização”, de “desvalorização de funcionários” e ainda houve boatos de que o Hospital Universitário passaria “a cobrar pelo atendimento”, etc. Resistimos e fomos adiante, porque sabíamos da importância desse vultoso empreendimento. O tempo, que é senhor da razão, se encarregou de mostrar a verdade. Hoje, passado mais de um ano, não só está encerrada essa etapa do concurso com a nomeação da primeira leva de aprovados, mas também está em curso uma grande revolução na estrutura do HUUFMA. Para os opositores, trago à baila o pensamento da poetisa Helena Kolody: “Deus dá a todos uma estrela: uns fazem da estrela um sol. Outros nem conseguem vê-la”.

Atualmente, dos 46 hospitais universitários, 34 aderiram à EBSERH e destes 23 já assinaram contratos. Vinte e um concursos estão em fases diversas, sendo que cinco já foram homologados e 14 estão em andamento. Até o final do ano passado, foram autorizadas mais de 23 mil vagas pelo Departamento de Estatais do Ministério de Planejamento, num total de 69,6% de acréscimo de mão de obra para os hospitais que já aderiram à EBSERH. Isso representa a ampliação de 1624 leitos em toda a rede hospitalar federal de ensino.

Em todas as entrevistas e palestras que concedi, repeti sempre: a EBSERH é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Educação, criada em 2011, com a finalidade de modernizar a gestão dos hospitais universitários federais. Desde a sua implantação, a empresa coordena o Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), instituído em 2010. A EBSERH é controlada 100% pela União, destinada a atuar na área dos hospitais públicos, oferecendo atendimento gratuito à população, com absoluto respeito pela autonomia universitária, tal como está disposto na Constituição Federal.

Frisei a questão dos concursos pelo fato de que os hospitais universitários vinham sofrendo há muito tempo com a precarização da mão de obra, e muitas instituições recorriam às fundações de apoio para poder suprir a necessidade de funcionários. Com a EBSERH, teremos servidores públicos regidos pela CLT, previamente aprovados em concurso. Quanto à parcela dos funcionários – que não lograram êxito no concurso e que atuam no hospital, contratados pela Fundação Josué Montello –, ela será substituída gradualmente num processo democrático e transparente que deve durar cerca de dois anos, respeitados todos os direitos trabalhistas.

O HUUFMA é, nas palavras da Doutora Jeanne Michel, Diretora de Gestão de Pessoas da EBSERH/MEC, “uma pérola”. Ficamos muito felizes ao ouvirmos essa declaração. O HUUFMA é e continuará sendo um hospital público de excelente qualidade, 100% SUS, propulsor e mediador do ensino e de pesquisa para a formação de diversos profissionais da área de saúde. Temos um legado a zelar e um nome que alcançou prestígio em território nacional.

O atual processo de incorporação de profissionais no HUUFMA trará um contingente de técnicos altamente capacitados, fato que prepara um hospital para uma nova etapa de seus, até aqui, relevantes serviços à sociedade. Falamos da implementação de aspectos fundamentais na pesquisa, na própria ampliação de técnicos, o que permitirá a operação de mais leitos e, por conseguinte, aumentará o número de atendimentos.

Com o novo grupo de funcionários, espera-se que ocorra o que os administradores bem sabem: o acréscimo das vantagens da aquisição da mão de obra externa, ampliação do patrimônio intelectual e do conhecimento, priorização das visões renovadas, das experiências de outras realidades, que, somados aos profissionais da casa, acrescentarão o vigor para a melhoria dos serviços já prestados e a inovação, que, acredita-se, dará impulso à pesquisa, que define tão bem um hospital-escola.

Aos profissionais que chegam, desejamos uma carreira rica e produtiva. Sejam bem-vindos, realizem seu melhor, façam história, o Maranhão, assim como todo o Brasil, agradece.


Doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, da AMM, AMC e AML

Publicado em O Estado do Maranhão em 16/03/2014

Mais opções
Copiar url

Porque a vida não espera

Revolução educacional

Quando tudo isso vai terminar?

Quando as pestes nos assaltam

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Sálvio Dino

Por uma nova versão da história

E se deixasse de haver ciência?

Entre linhas de luz

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Milson Coutinho

Homenagem do Reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Waldemiro Viana

Tempos pandêmicos para secretas lições

Moby Dick, para uma macroscopia do coronavírus

Saúde e educação nas entranhas da cidade

Medicina e Literatura: mais que a vida

Os vírus, as pandemias e as alterações históricas

Ciência a serviço da vida

O vírus, o próprio homem, o racismo e outros inimigos

O sacrifício da verdade

Efeitos colaterais

Lá fora, sem sair de casa

O cenário das pragas na vida e na literatura

E as lanternas continuam acesas

Para sempre afetuosos

Será admirável o mundo novo?

O gigante aliado no combate ao mal

A (nova) escolha de Sofia

Qual fim está próximo?

Dia Internacional da Mulher

Doença renal: a prevenção começa na infância (II)

Celeiro de excelência

O (velho) novo problema da corrupção

Tempos difíceis

Obreiro do Conhecimento

Uma palavra de gratidão

Salve Mário Meireles!

Luzes para Domingos Vieira Filho

Novos cenários para a inovação tecnológica

A benção, meu pai

Dunas e saudade

A (anunciada) tragédia grega

Uma homenagem a Bacelar Portela

Um poeta, um estadista e um sacerdote

Reivindicação atendida

Dom Delgado, um homem visionário (IV)

Dom Delgado, um homem visionário (III)

Dom Delgado, um homem visionário (II)

Dom Delgado, um homem visionário (I)

Uma reparação histórica

Páscoa: vida nova a serviço do próximo

A Baixada Maranhense e a sua vocação para a grandeza

Um clamor pelos novos mártires

O legado de Darwin

Excelência no esporte

O essencial é que importa

Contra a intolerância

Menos corrupção em 2015

Contra a intolerância

O brilho de Carlos e Zelinda

A UFMA e o empreendedorismo

Inesquecível Mohana

TJ-MA e a justiça

Valorização da ciência

Novos caminhos para a educação

Ensino para além do tempo e da distância

Arqueologia, mais uma área de conquista da UFMA

O papel protagonista da Associação Comercial do Maranhão

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (III)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (II)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive

A lição da Copa

A justiça mais próxima do cidadão

No caminho certo

Ubiratan Teixeira: múltiplos em um só

O legado de fé dos santos juninos

Sisu: democratização no acesso ao Ensino Superior

Espaço de celebração e valorização da cultura

Chagas de ausência

Mais um avanço da UFMA

Considerações sobre pecado e redenção

Páscoa, libelo em favor da liberdade

O dia em que a baixada parou

Anchieta, história de fé e amor pela educação

Um código de conduta para a rede

Um reconhecimento merecido

Vértice de oportunidades

O chamado da liberdade

A solução passa pela família

Extensão universitária: de braços abertos para a comunidade

Cuidar dos rins é viver melhor

Em defesa dos nobres valores

Contra a exclusão, a formação

Os (des) caminhos da violência

Pinheiro e Imperatriz, novo celeiro de médicos

Uma revolução em curso

Um ano de novas conquistas

A luz que vem da fé (considerações acerca da Epístola do Papa Francisco)

Conhecimento que desconhece fronteiras

Pelo diálogo e pela sensatez

Novos passos rumo à melhoria do ensino

Confissões antigas sobre o Maranhão

Oportunidades e melhorias no cenário da saúde

A ética como aliada da ciência

Merecidas palmas

A UFMA e o ENEM (parte II)

A UFMA E O ENEM (parte I)

(A)Deus, minha mãe

Voto e democracia, simbiose perfeita

Um desafio para o sistema educacional

Sobre despedidas e inícios

Pausa para equilíbrio e reflexão

Um presente à altura de São Luís

Educação que liberta e transforma

À espera de reforços

Democratizando o acesso

A benção de ser pai

Santa madre Igreja

Bem-vindo, Francisco

Quando prevenir, de fato, é melhor que remediar

E a violência?

Sinal de alerta

Sobre a paz e Santo Antonio

Interiorização: caminho para a emancipação

Quando o meio é a própria mensagem

Mais que um homem: uma lenda (parte II)

Mais que um homem: uma lenda

De poesia e de arte também se vive

Uma reivindicação justa e necessária

Vitória, fruto da perseverança

Inimigo oculto

A ordem natural das coisas

Alfabetização, primeiro passo para o desenvolvimento

Exemplo de abnegação e altruísmo

Um ato de reparação

O legado de Bento XVI

E Deus criou a mulher...

Excelência no Continente

O Admirável mundo da química

UFMA: um ano de grandes realizações

Tão perto, tão distante

Natal, tempo de paz e boa vontade

Reconhecimento à Bancada

Reflexões acerca do ano da fé

Medicina: um dom e uma missão

Ensino a distância revoluciona a educação no mundo

Turismo e Hotelaria no contexto das cidades criativas

São Luís: as homenagens continuam

A realização de um sonho

Energia limpa: caminho para o desenvolvimento

Investir em esporte para gerar campeões

SBPC 2012: cenário de múltiplas possibilidades

O federalismo sob ótica global

Histórias coincidentes de lutas e conquistas

Cultura Universitária x Cidade Universitária

Agradecer também é reconhecer

Diversidade local como solução global

Corpus Christi: tempo de recordar para valorizar

Valorizar o passado para compreender o presente

Compartilhar saberes, legar conhecimento

A SBPC e os saberes tradicionais

A educação que movimenta o desenvolvimento