Início do conteúdo da página
Início do conteúdo da página

Palavra do Reitor

Cuidar dos rins é viver melhor

Escrevo este artigo a propósito de chamar a atenção mais uma vez para uma importante questão de saúde bastante discutida em todo o mundo. No próximo dia 13 de março, a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) realizará a sexta edição do dia mundial do rim, órgão essencial ao corpo humano por agregar funções excretórias, regulatórias e endócrinas.

As pesquisas epidemiológicas recentes apontam o aumento crescente da ocorrência do adoecimento do rim em todas as faixas de idade da população, com ocorrência maior em pessoas acima dos 40 anos. Cerca de 70% descobrem a doença tardiamente, ou seja, quando a função renal de filtragem, que é a mais conhecida da população, encontra-se em estado crônico grave. Relatório da Sociedade Brasileira de Nefrologia do ano de 2012 revela o que os profissionais têm percebido em sua prática diária em ambulatórios e hospitais: um quadro que apresenta característica epidêmica no registro de novos casos de doentes renais. Em 2000, havia pouco mais de 42 mil pessoas em hemodiálise (HD), a principal forma de tratamento renal substitutivo. Na estatística do ano de 2012, esse número mais que dobrou, chegando a impressionantes 97,5 mil pessoas em HD. A estimativa feita no ano passado mostra que mais de 100 mil pessoas estão nessa condição. Como mais de 84% dos custos com o tratamento – incluindo a diálise peritoneal, outra forma de tratamento – são realizados pelo Ministério da Saúde, os valores passam de 2,2 bilhões de reais por ano, sem contar com as medicações e os transplantes.

Esses levantamentos também refletem o que o Relatório Lalonde (1974) mostrou: a interação dos agentes biológicos, ambiente e estilo de vida definem a maioria das doenças com características crônicas e causas de mortalidade no mundo. No caso da doença renal, mais de 62% dos casos se devem à hipertensão (33,8%) e à diabetes mellitus (28,5%), comorbidades relacionadas à obesidade, à vida sedentária, aos traços familiares, à dislipidemia e ao tabagismo. As duas são combatidas com programas do Ministério da Saúde, que trabalham, fundamentalmente, com a prevenção junto a populações de risco, as quais podem, e muito, se beneficiar com essas iniciativas.

O Hospital Universitário Presidente Dutra, referência no tratamento do rim no Estado e na região Norte/Nordeste, age em todas as frentes de cuidado – seja na prevenção, seja no tratamento que abrange a assistência ambulatorial para acompanhamento do tratamento conservador, a hemodiálise, diálise peritoneal e o transplante renal, o qual vem sendo realizado desde março de 2000.

Recentemente – ainda que a estrutura funcione há cerca de quatro anos – foi inaugurado oficialmente o Centro de Prevenção de Doenças Renais, com a presença do Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, e do Presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, Daniel Rinaldi. O Centro conta com uma equipe multiprofissional, formada por especialistas, mestres e doutores nas áreas de Assistência Social, Educação Física, Psicologia, Nutrição, Terapia Ocupacional, Farmácia e Enfermagem. Esse modelo é também um dos pilares das ações do Hospital Universitário em outras especialidades de saúde oferecidas à população, pois possibilita um atendimento diferenciado.

Entretanto, preocupados com o avanço da capacitação dos profissionais que operam nessa área, fomos além. Em breve, o Centro abrigará um projeto inovador e inédito no Brasil: o curso de especialização em Nefrologia Multidisciplinar, promovido pela Universidade Aberta do SUS – UNASUS/HUUFMA, que será ofertado na modalidade Ensino a Distância (EAD), este mediado por tutores, para interessados em todo o território nacional. O curso terá duração de 390 horas e, no primeiro momento, serão disponibilizadas mil vagas. Também teremos cursos autoinstrucionais e, em sintonia com o avanço das modernas tecnologias midiáticas, será proposto um jogo educativo sobre nefrologia multidisciplinar, como ferramenta permanente de apoio aos profissionais da área.

Não poderia deixar de mencionar ainda que no Centro de Prevenção é desenvolvido o projeto PrevRenal, cuja pesquisa tem sido executada desde 2011 entre os quilombolas da região de Alcântara, que estão distribuídos em 32 comunidades com uma população total de 1.513 pessoas. O projeto envolve cerca de 100 profissionais, todos do Hospital Universitário/UFMA, os quais periodicamente se deslocam até as comunidades para a realização de variadas atividades, objetivando fazer um levantamento do perfil clínico dos habitantes, com ênfase na identificação da diabetes, da hipertensão, das doenças renais, do índice de nutrição e de outras alterações. Ao final do projeto, será montado um perfil epidemiológico de uma população brasileira, que servirá como modelo para outras intervenções em grupos semelhantes. Na edição trimestral (abril/maio/junho/2013), esse estudo foi objeto de reportagem e capa da revista “SBN Informa”, órgão oficial da Sociedade Brasileira de Nefrologia.

Assim, agindo em todas as frentes – na prevenção, no tratamento, na informação, na orientação e na qualificação constante dos profissionais que atuam em benefício dessa significativa causa –, esperamos contribuir para o esclarecimento e engajamento da sociedade acerca de uma grande verdade: cuidar dos rins é viver mais e de forma saudável.

Doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, ACM e AMC

Publicado em O Estado do Maranhão em 16/01/2014

Mais opções
Copiar url

Porque a vida não espera

Revolução educacional

Quando tudo isso vai terminar?

Quando as pestes nos assaltam

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Sálvio Dino

Por uma nova versão da história

E se deixasse de haver ciência?

Entre linhas de luz

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Milson Coutinho

Homenagem do Reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Waldemiro Viana

Tempos pandêmicos para secretas lições

Moby Dick, para uma macroscopia do coronavírus

Saúde e educação nas entranhas da cidade

Medicina e Literatura: mais que a vida

Os vírus, as pandemias e as alterações históricas

Ciência a serviço da vida

O vírus, o próprio homem, o racismo e outros inimigos

O sacrifício da verdade

Efeitos colaterais

Lá fora, sem sair de casa

O cenário das pragas na vida e na literatura

E as lanternas continuam acesas

Para sempre afetuosos

Será admirável o mundo novo?

O gigante aliado no combate ao mal

A (nova) escolha de Sofia

Qual fim está próximo?

Dia Internacional da Mulher

Doença renal: a prevenção começa na infância (II)

Celeiro de excelência

O (velho) novo problema da corrupção

Tempos difíceis

Obreiro do Conhecimento

Uma palavra de gratidão

Salve Mário Meireles!

Luzes para Domingos Vieira Filho

Novos cenários para a inovação tecnológica

A benção, meu pai

Dunas e saudade

A (anunciada) tragédia grega

Uma homenagem a Bacelar Portela

Um poeta, um estadista e um sacerdote

Reivindicação atendida

Dom Delgado, um homem visionário (IV)

Dom Delgado, um homem visionário (III)

Dom Delgado, um homem visionário (II)

Dom Delgado, um homem visionário (I)

Uma reparação histórica

Páscoa: vida nova a serviço do próximo

A Baixada Maranhense e a sua vocação para a grandeza

Um clamor pelos novos mártires

O legado de Darwin

Excelência no esporte

O essencial é que importa

Contra a intolerância

Menos corrupção em 2015

Contra a intolerância

O brilho de Carlos e Zelinda

A UFMA e o empreendedorismo

Inesquecível Mohana

TJ-MA e a justiça

Valorização da ciência

Novos caminhos para a educação

Ensino para além do tempo e da distância

Arqueologia, mais uma área de conquista da UFMA

O papel protagonista da Associação Comercial do Maranhão

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (III)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (II)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive

A lição da Copa

A justiça mais próxima do cidadão

No caminho certo

Ubiratan Teixeira: múltiplos em um só

O legado de fé dos santos juninos

Sisu: democratização no acesso ao Ensino Superior

Espaço de celebração e valorização da cultura

Chagas de ausência

Mais um avanço da UFMA

Considerações sobre pecado e redenção

Páscoa, libelo em favor da liberdade

O dia em que a baixada parou

Anchieta, história de fé e amor pela educação

Um código de conduta para a rede

Um reconhecimento merecido

Vértice de oportunidades

O chamado da liberdade

A solução passa pela família

Extensão universitária: de braços abertos para a comunidade

Cuidar dos rins é viver melhor

Em defesa dos nobres valores

Contra a exclusão, a formação

Os (des) caminhos da violência

Pinheiro e Imperatriz, novo celeiro de médicos

Uma revolução em curso

Um ano de novas conquistas

A luz que vem da fé (considerações acerca da Epístola do Papa Francisco)

Conhecimento que desconhece fronteiras

Pelo diálogo e pela sensatez

Novos passos rumo à melhoria do ensino

Confissões antigas sobre o Maranhão

Oportunidades e melhorias no cenário da saúde

A ética como aliada da ciência

Merecidas palmas

A UFMA e o ENEM (parte II)

A UFMA E O ENEM (parte I)

(A)Deus, minha mãe

Voto e democracia, simbiose perfeita

Um desafio para o sistema educacional

Sobre despedidas e inícios

Pausa para equilíbrio e reflexão

Um presente à altura de São Luís

Educação que liberta e transforma

À espera de reforços

Democratizando o acesso

A benção de ser pai

Santa madre Igreja

Bem-vindo, Francisco

Quando prevenir, de fato, é melhor que remediar

E a violência?

Sinal de alerta

Sobre a paz e Santo Antonio

Interiorização: caminho para a emancipação

Quando o meio é a própria mensagem

Mais que um homem: uma lenda (parte II)

Mais que um homem: uma lenda

De poesia e de arte também se vive

Uma reivindicação justa e necessária

Vitória, fruto da perseverança

Inimigo oculto

A ordem natural das coisas

Alfabetização, primeiro passo para o desenvolvimento

Exemplo de abnegação e altruísmo

Um ato de reparação

O legado de Bento XVI

E Deus criou a mulher...

Excelência no Continente

O Admirável mundo da química

UFMA: um ano de grandes realizações

Tão perto, tão distante

Natal, tempo de paz e boa vontade

Reconhecimento à Bancada

Reflexões acerca do ano da fé

Medicina: um dom e uma missão

Ensino a distância revoluciona a educação no mundo

Turismo e Hotelaria no contexto das cidades criativas

São Luís: as homenagens continuam

A realização de um sonho

Energia limpa: caminho para o desenvolvimento

Investir em esporte para gerar campeões

SBPC 2012: cenário de múltiplas possibilidades

O federalismo sob ótica global

Histórias coincidentes de lutas e conquistas

Cultura Universitária x Cidade Universitária

Agradecer também é reconhecer

Diversidade local como solução global

Corpus Christi: tempo de recordar para valorizar

Valorizar o passado para compreender o presente

Compartilhar saberes, legar conhecimento

A SBPC e os saberes tradicionais

A educação que movimenta o desenvolvimento