Início do conteúdo da página
Início do conteúdo da página

Palavra do Reitor

Um ano de novas conquistas

“Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça...”

Inicio este texto com Mário Quintana, poeta gaúcho, frasista insuperável. E o faço por uma razão: quero olhar para esse começo de um ano que se avizinha com uma incursão no passado recente que, afinal, explica este momento tão alvissareiro que a Universidade Federal do Maranhão vive e, por isso mesmo, sinaliza para um novo ano pleno de realizações.

O ano de 2013 foi marcante para todos nós que fazemos parte da maior e melhor instituição superior de ensino do nosso Estado. Surgiram alguns percalços – como é próprio da vida –, mas isso apenas enfatizou as realizações e contribuiu para chegarmos ao acme histórico da UFMA, que até aqui, com a ajuda de Deus e de um infindável número de professores, alunos e servidores, temos tido a honra de liderar.

É fato que a infraestrutura predial tanto de acesso quanto de urbanização da UFMA melhorou muito, contudo gosto de destacar uma evolução que pode, sem dúvida nenhuma, escrever o futuro do Maranhão de forma muito mais perene e produtiva. Trata-se do programa de criação de cursos de pós-graduação stricto sensu, que teve início no final da década de oitenta com a implantação de um mestrado em Educação. Até 2006, outros dez mestrados foram instituídos e apenas um doutorado – o de Políticas Públicas. O ano de 2007 inaugurou de fato uma nova fase na instituição de cursos de pós-graduação. Desde então, a UFMA implantou outros cursos em todas as áreas do conhecimento, dos quais são 16 mestrados e 9 doutorados. Nos últimos cinco anos, essa universidade mais que dobrou o número de mestrados e multiplicou nove vezes os doutorados, totalizando hoje 36 pós-graduações.

Esse avanço impressionante faz parte de uma das metas de desenvolvimento da UFMA, que é o Plano Institucional de Formação de Quadros Docentes – PLANFOR. O planejamento para esse propósito passou por um amplo levantamento em todos os cursos, levando em conta o corpo docente e suas qualificações acadêmicas. Esse dado orientará nos próximos anos o plano de qualificação que consiste em incentivar e prover o ingresso dos professores em mestrados – uma quantidade mínima – e em doutorados, seja na própria UFMA, seja nas outras instituições brasileiras e estrangeiras com as quais há parcerias científicas. Atualmente, a UFMA tem em seu quadro funcional docente 89,1% pós-graduados, incluindo doutores e mestres.

Todavia, esse plano é apenas um arcabouço que está contido no PROQUALI – Programa de Qualidade da Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação. Este programa foi implantado pela Resolução CONSEPE n 1041, de 22 de julho de 2013. Por meio dele, a UFMA criou um projeto com vigência no período de 2013 a 2016. É composto de inúmeras iniciativas, que vão desde a infraestrutura, seguindo pelos recursos humanos, incentivo à pesquisa, premiação por mérito científico, incentivo à publicação e à consolidação de revistas científicas através do uso da indexação e inserção na rede científica mundial, internacionalização das pós-graduações, realização de eventos e até mesmo um subprograma chamado “enxoval”, que dará aos doutores recém-contratados e titulados o acesso às condições básicas para exercer suas atividades.

Olhamos 2014 e os anos subsequentes com grande motivação e esperança. Não porque planos e projetos foram produzidos, mas porque o olhar para o que já foi realizado nos dá a convicção e confiança de que podemos alçar voos maiores e mais ousados. Sei que o que se está construindo agora repercutirá nas próximas décadas na vida de milhares de pessoas e trará consequências positivas – que sequer podemos dimensionar – para o Maranhão e para o Brasil

Comecei com um pensamento de um poeta, finalizo com a meditação de um homem cuja vida tem sido um exercício de paciência e esperança: “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver” (Tenzin Gyatso – Dalai Lama).

Um feliz 2014 a todos e a todas. Que Deus os conduza a novas esperanças, conquistas e a novos sonhos neste novo ano que se inicia ainda nesta semana.

Doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, ACM e AMC

Publicado em O Estado do Maranhão em 29/12/2013

Mais opções
Copiar url

Porque a vida não espera

Revolução educacional

Quando tudo isso vai terminar?

Quando as pestes nos assaltam

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Sálvio Dino

Por uma nova versão da história

E se deixasse de haver ciência?

Entre linhas de luz

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Milson Coutinho

Homenagem do Reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Waldemiro Viana

Tempos pandêmicos para secretas lições

Moby Dick, para uma macroscopia do coronavírus

Saúde e educação nas entranhas da cidade

Medicina e Literatura: mais que a vida

Os vírus, as pandemias e as alterações históricas

Ciência a serviço da vida

O vírus, o próprio homem, o racismo e outros inimigos

O sacrifício da verdade

Efeitos colaterais

Lá fora, sem sair de casa

O cenário das pragas na vida e na literatura

E as lanternas continuam acesas

Para sempre afetuosos

Será admirável o mundo novo?

O gigante aliado no combate ao mal

A (nova) escolha de Sofia

Qual fim está próximo?

Dia Internacional da Mulher

Doença renal: a prevenção começa na infância (II)

Celeiro de excelência

O (velho) novo problema da corrupção

Tempos difíceis

Obreiro do Conhecimento

Uma palavra de gratidão

Salve Mário Meireles!

Luzes para Domingos Vieira Filho

Novos cenários para a inovação tecnológica

A benção, meu pai

Dunas e saudade

A (anunciada) tragédia grega

Uma homenagem a Bacelar Portela

Um poeta, um estadista e um sacerdote

Reivindicação atendida

Dom Delgado, um homem visionário (IV)

Dom Delgado, um homem visionário (III)

Dom Delgado, um homem visionário (II)

Dom Delgado, um homem visionário (I)

Uma reparação histórica

Páscoa: vida nova a serviço do próximo

A Baixada Maranhense e a sua vocação para a grandeza

Um clamor pelos novos mártires

O legado de Darwin

Excelência no esporte

O essencial é que importa

Contra a intolerância

Menos corrupção em 2015

Contra a intolerância

O brilho de Carlos e Zelinda

A UFMA e o empreendedorismo

Inesquecível Mohana

TJ-MA e a justiça

Valorização da ciência

Novos caminhos para a educação

Ensino para além do tempo e da distância

Arqueologia, mais uma área de conquista da UFMA

O papel protagonista da Associação Comercial do Maranhão

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (III)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (II)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive

A lição da Copa

A justiça mais próxima do cidadão

No caminho certo

Ubiratan Teixeira: múltiplos em um só

O legado de fé dos santos juninos

Sisu: democratização no acesso ao Ensino Superior

Espaço de celebração e valorização da cultura

Chagas de ausência

Mais um avanço da UFMA

Considerações sobre pecado e redenção

Páscoa, libelo em favor da liberdade

O dia em que a baixada parou

Anchieta, história de fé e amor pela educação

Um código de conduta para a rede

Um reconhecimento merecido

Vértice de oportunidades

O chamado da liberdade

A solução passa pela família

Extensão universitária: de braços abertos para a comunidade

Cuidar dos rins é viver melhor

Em defesa dos nobres valores

Contra a exclusão, a formação

Os (des) caminhos da violência

Pinheiro e Imperatriz, novo celeiro de médicos

Uma revolução em curso

Um ano de novas conquistas

A luz que vem da fé (considerações acerca da Epístola do Papa Francisco)

Conhecimento que desconhece fronteiras

Pelo diálogo e pela sensatez

Novos passos rumo à melhoria do ensino

Confissões antigas sobre o Maranhão

Oportunidades e melhorias no cenário da saúde

A ética como aliada da ciência

Merecidas palmas

A UFMA e o ENEM (parte II)

A UFMA E O ENEM (parte I)

(A)Deus, minha mãe

Voto e democracia, simbiose perfeita

Um desafio para o sistema educacional

Sobre despedidas e inícios

Pausa para equilíbrio e reflexão

Um presente à altura de São Luís

Educação que liberta e transforma

À espera de reforços

Democratizando o acesso

A benção de ser pai

Santa madre Igreja

Bem-vindo, Francisco

Quando prevenir, de fato, é melhor que remediar

E a violência?

Sinal de alerta

Sobre a paz e Santo Antonio

Interiorização: caminho para a emancipação

Quando o meio é a própria mensagem

Mais que um homem: uma lenda (parte II)

Mais que um homem: uma lenda

De poesia e de arte também se vive

Uma reivindicação justa e necessária

Vitória, fruto da perseverança

Inimigo oculto

A ordem natural das coisas

Alfabetização, primeiro passo para o desenvolvimento

Exemplo de abnegação e altruísmo

Um ato de reparação

O legado de Bento XVI

E Deus criou a mulher...

Excelência no Continente

O Admirável mundo da química

UFMA: um ano de grandes realizações

Tão perto, tão distante

Natal, tempo de paz e boa vontade

Reconhecimento à Bancada

Reflexões acerca do ano da fé

Medicina: um dom e uma missão

Ensino a distância revoluciona a educação no mundo

Turismo e Hotelaria no contexto das cidades criativas

São Luís: as homenagens continuam

A realização de um sonho

Energia limpa: caminho para o desenvolvimento

Investir em esporte para gerar campeões

SBPC 2012: cenário de múltiplas possibilidades

O federalismo sob ótica global

Histórias coincidentes de lutas e conquistas

Cultura Universitária x Cidade Universitária

Agradecer também é reconhecer

Diversidade local como solução global

Corpus Christi: tempo de recordar para valorizar

Valorizar o passado para compreender o presente

Compartilhar saberes, legar conhecimento

A SBPC e os saberes tradicionais

A educação que movimenta o desenvolvimento