Início do conteúdo da página
Início do conteúdo da página

Palavra do Reitor

Mais um avanço da UFMA

Com a ilustre presença do ministro da Educação, Henrique Paim, a Universidade Federal do Maranhão inaugurou oficialmente nesta semana passada seu novo Centro de Convenções, que tem capacidade para mais de cinco mil pessoas, numa área de 8.802m². Sem dúvida, é um dos maiores espaços desse porte em nosso Estado. A obra teve início em 2011 e levou dois anos para ser concluída. No centro, estão alojados quatro pequenos auditórios com capacidade de 100 pessoas, além de salas de administração, almoxarifado, sala de som e setor administrativo, uma cozinha industrial e uma cantina.

Na mesma ocasião, foi descerrada a placa de inauguração do Centro Pedagógico Paulo Freire, cuja construção teve início em 2010. Esse prédio ocupa um espaço de 14.550m², distribuídos em 60 salas de aulas, um auditório com capacidade para 600 pessoas. Ademais, possui restaurante, cantina, salas de coordenação e secretarias, três pequenos auditórios com capacidade para 100 pessoas e salão de exposição. É nele que atualmente acontecem as aulas de mais de vinte cursos. Para que tudo isso viesse à realidade, foram investidos mais de 17 milhões pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Educação, além de emendas de parlamentares da bancada maranhense.

Coincidentemente, durante esta semana foi realizado o primeiro Seminário Carajás 30 anos, cujas reuniões ocorreram no referido Centro de Convenções. O fato foi presenciado pelo ministro Henrique Paim, que se revelou satisfeito com mais esse avanço de nossa universidade, levando em consideração o contexto em que ela está inserida, no qual, segundo suas próprias palavras, os índices educacionais são preocupantes. O ministro foi categórico ao afirmar que: “A UFMA tem se mostrado uma universidade exemplo para o país. E a inauguração de um prédio contendo o nome ‘Paulo Freire’ mostra o respeito com a educação no país”.

O ministro esteve em São Luís participando não apenas dessas inaugurações, mas também da Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Educação, realizada no Hotel Luzeiros, na qual foram discutidos o Pacto Nacional da Educação (PNE) e a Construção do Sistema Nacional de Educação. Nesta oportunidade, proferiu a palestra de abertura, intitulada “Os desafios e as perspectivas para a melhoria da educação brasileira”. Em sua fala, Henrique Paim chamou a atenção para a valorização da educação e dos professores, e mais uma vez destacou o papel que a Universidade Federal do Maranhão vem desempenhando no gigantesco processo de inclusão da população que habita o continente.

Juntamente com o deputado federal Gastão Vieira, acompanhamos o ministro em seu encontro com a governadora do Estado, ocasião em que esta lhe entregou o Plano Estadual de Educação, documento que define metas para a melhoria do ensino público nos próximos anos. Nessa solenidade, o ministro Paim ressaltou que “o Maranhão se adiantou na entrega do Plano Estadual de Educação, o que mostra uma visão sistêmica e conhecimento de sua realidade local. Isso é de suma importância para superar o desafio histórico da educação brasileira”. Esse foi um passo muito importante dado pelo Estado em prol da melhoria da qualidade do ensino que oferece.

O ministro esteve ainda com o prefeito de São Luís, momento em que assinaram o termo de compromisso para a construção de nove creches na capital. O ato foi realizado no gabinete do prefeito e contou também com a nossa presença. Além do mais, o ministro anunciou que estão previstas 38 creches, sendo que 25 já foram contratadas. Este fato representa um grande avanço para a qualidade da educação infantil de nossa cidade.

Como parte de sua agenda de compromissos, o ministro Henrique Paim também visitou as instalações do Hospital Universitário da UFMA, onde almoçou com professores, técnicos e servidores. A sua visita, que muito nos honrou, ratificou não apenas em palavras a certeza de que estamos no caminho certo. Ele fez questão de ressaltar que o HUUFMA é um modelo a ser seguido como uma referência da rede federal de ensino. Fosse o contrário, nossa gestão não entraria para a história como a que mais contou com a visita de ministros de Estado, a exemplo dos ex-ministros José Serra, Fernando Haddad e Valdir Raupp. Ainda na direção do Hospital Universitário Presidente Dutra, fomos prestigiados com as visitas dos também ministros da Saúde José Serra, Barjas Negri e Humberto Costa.

Somados a essa demonstração de prestígio, esta reitoria também tem contado com o apoio inconteste da comunidade universitária, da bancada maranhense de deputados e senadores, além da sociedade civil e da imprensa, que reconhecem o trabalho sério, dedicado, pautado na ética e no compromisso com a coisa pública.

Outras conquistas já se avizinham. Sabemos do valor que as obras físicas possuem, mas também investimos cada vez mais na melhoria do ensino oferecido, na valorização dos servidores, no estímulo à aprendizagem dos alunos, no respeito ao professor e na aproximação cada vez mais do cidadão maranhense. A UFMA é a casa de todos nós.

P.S. Também não poderia deixar de lembrar que neste segundo domingo de maio é comemorado o Dia das Mães. Ainda marcado pela saudade que invade o meu coração pela partida de minha mãe, quero externar os meus mais sinceros votos de felicidade a todas as mulheres que receberam de Deus o sagrado dom da maternidade.

Doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, da AMM, AMC e AML.

Publicado em O Estado do Maranhão em 11/05/2014

Mais opções
Copiar url

Porque a vida não espera

Revolução educacional

Quando tudo isso vai terminar?

Quando as pestes nos assaltam

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Sálvio Dino

Por uma nova versão da história

E se deixasse de haver ciência?

Entre linhas de luz

Homenagem do reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Milson Coutinho

Homenagem do Reitor Natalino Salgado ao acadêmico da AML Waldemiro Viana

Tempos pandêmicos para secretas lições

Moby Dick, para uma macroscopia do coronavírus

Saúde e educação nas entranhas da cidade

Medicina e Literatura: mais que a vida

Os vírus, as pandemias e as alterações históricas

Ciência a serviço da vida

O vírus, o próprio homem, o racismo e outros inimigos

O sacrifício da verdade

Efeitos colaterais

Lá fora, sem sair de casa

O cenário das pragas na vida e na literatura

E as lanternas continuam acesas

Para sempre afetuosos

Será admirável o mundo novo?

O gigante aliado no combate ao mal

A (nova) escolha de Sofia

Qual fim está próximo?

Dia Internacional da Mulher

Doença renal: a prevenção começa na infância (II)

Celeiro de excelência

O (velho) novo problema da corrupção

Tempos difíceis

Obreiro do Conhecimento

Uma palavra de gratidão

Salve Mário Meireles!

Luzes para Domingos Vieira Filho

Novos cenários para a inovação tecnológica

A benção, meu pai

Dunas e saudade

A (anunciada) tragédia grega

Uma homenagem a Bacelar Portela

Um poeta, um estadista e um sacerdote

Reivindicação atendida

Dom Delgado, um homem visionário (IV)

Dom Delgado, um homem visionário (III)

Dom Delgado, um homem visionário (II)

Dom Delgado, um homem visionário (I)

Uma reparação histórica

Páscoa: vida nova a serviço do próximo

A Baixada Maranhense e a sua vocação para a grandeza

Um clamor pelos novos mártires

O legado de Darwin

Excelência no esporte

O essencial é que importa

Contra a intolerância

Menos corrupção em 2015

Contra a intolerância

O brilho de Carlos e Zelinda

A UFMA e o empreendedorismo

Inesquecível Mohana

TJ-MA e a justiça

Valorização da ciência

Novos caminhos para a educação

Ensino para além do tempo e da distância

Arqueologia, mais uma área de conquista da UFMA

O papel protagonista da Associação Comercial do Maranhão

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (III)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive (II)

Festival Guarnicê de Cinema: a magia sobrevive

A lição da Copa

A justiça mais próxima do cidadão

No caminho certo

Ubiratan Teixeira: múltiplos em um só

O legado de fé dos santos juninos

Sisu: democratização no acesso ao Ensino Superior

Espaço de celebração e valorização da cultura

Chagas de ausência

Mais um avanço da UFMA

Considerações sobre pecado e redenção

Páscoa, libelo em favor da liberdade

O dia em que a baixada parou

Anchieta, história de fé e amor pela educação

Um código de conduta para a rede

Um reconhecimento merecido

Vértice de oportunidades

O chamado da liberdade

A solução passa pela família

Extensão universitária: de braços abertos para a comunidade

Cuidar dos rins é viver melhor

Em defesa dos nobres valores

Contra a exclusão, a formação

Os (des) caminhos da violência

Pinheiro e Imperatriz, novo celeiro de médicos

Uma revolução em curso

Um ano de novas conquistas

A luz que vem da fé (considerações acerca da Epístola do Papa Francisco)

Conhecimento que desconhece fronteiras

Pelo diálogo e pela sensatez

Novos passos rumo à melhoria do ensino

Confissões antigas sobre o Maranhão

Oportunidades e melhorias no cenário da saúde

A ética como aliada da ciência

Merecidas palmas

A UFMA e o ENEM (parte II)

A UFMA E O ENEM (parte I)

(A)Deus, minha mãe

Voto e democracia, simbiose perfeita

Um desafio para o sistema educacional

Sobre despedidas e inícios

Pausa para equilíbrio e reflexão

Um presente à altura de São Luís

Educação que liberta e transforma

À espera de reforços

Democratizando o acesso

A benção de ser pai

Santa madre Igreja

Bem-vindo, Francisco

Quando prevenir, de fato, é melhor que remediar

E a violência?

Sinal de alerta

Sobre a paz e Santo Antonio

Interiorização: caminho para a emancipação

Quando o meio é a própria mensagem

Mais que um homem: uma lenda (parte II)

Mais que um homem: uma lenda

De poesia e de arte também se vive

Uma reivindicação justa e necessária

Vitória, fruto da perseverança

Inimigo oculto

A ordem natural das coisas

Alfabetização, primeiro passo para o desenvolvimento

Exemplo de abnegação e altruísmo

Um ato de reparação

O legado de Bento XVI

E Deus criou a mulher...

Excelência no Continente

O Admirável mundo da química

UFMA: um ano de grandes realizações

Tão perto, tão distante

Natal, tempo de paz e boa vontade

Reconhecimento à Bancada

Reflexões acerca do ano da fé

Medicina: um dom e uma missão

Ensino a distância revoluciona a educação no mundo

Turismo e Hotelaria no contexto das cidades criativas

São Luís: as homenagens continuam

A realização de um sonho

Energia limpa: caminho para o desenvolvimento

Investir em esporte para gerar campeões

SBPC 2012: cenário de múltiplas possibilidades

O federalismo sob ótica global

Histórias coincidentes de lutas e conquistas

Cultura Universitária x Cidade Universitária

Agradecer também é reconhecer

Diversidade local como solução global

Corpus Christi: tempo de recordar para valorizar

Valorizar o passado para compreender o presente

Compartilhar saberes, legar conhecimento

A SBPC e os saberes tradicionais

A educação que movimenta o desenvolvimento