Início do conteúdo da página
Início do conteúdo da página

Conselho Universitário do MA debate sobre o Marco Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação

Publicado em: 05/09/2020

SÃO LUÍS – Na manhã dessa sexta-feira, 4, foi realizada uma reunião ordinária com os membros do Conselho Universitário do Maranhão, convocada pelo respectivo vice-presidente e secretário-executivo da Instituição, além do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles. O encontro on-line, em que foi discutida a construção interinstitucional do Marco Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, contou com a presença do Reitor Natalino Salgado; do reitor da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Gustavo Costa; do reitor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Roberto Brandão; da reitora da Uemasul, Elizabeth Fernandes; da reitora do Ceuma, Cristina Nitz da Cruz; do diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), João Batista Bottentuit Junior; e de representantes discentes e docentes das demais instituições que compõem o Conselho.

A reunião dá sequência a um trabalho de aproximadamente 60 dias solicitado pelo governador Flávio Dino para a formação do Marco Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. A partir de hoje, as instituições terão de 10 a 12 dias para formular análises e contribuições ao documento, e está prevista, no dia 18 deste mês, uma reunião com as comunidades acadêmicas das instituições membras do Conselho. A proposta será apresentada em outubro ao governador, e então, caso aprovada, será encaminhada como projeto de lei para votação na Assembleia Legislativa do Maranhão.

A primeira versão do Marco Estadual traz capítulos em que consta o estímulo à construção de ambientes especializados e cooperativos de inovação, à participação das instituições científicas e tecnológicas no processo de inovação, à inovação dentro das empresas, ao inventor independente, às invenções inovadoras, aos fundos de investimento em ciência, tecnologia e inovação e ao Fundo Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. “Todos nós, da Secti, estamos à disposição para esclarecermos dúvidas e recebermos contribuições que se estenderão para os próximos 12 dias, então é importante que, neste momento, possamos ouvi-los de maneira ampla”, declarou Telles.

 

O reitor Natalino Salgado elogiou a iniciativa e destacou que a efetivação da lei será de suma relevância para o desenvolvimento do estado em várias frentes. “A construção interinstitucional desse Marco Estadual é fundamental, pois nosso país carece disso, de colocar em prática a ciência e o conhecimento que se desenvolve no âmbito das universidades, nessa relação com a indústria, para que possa atender a esse desenvolvimento e chegar às comunidades. O debate tem sido construtivo, e a minha equipe vai se debruçar e dar as contribuições que possam ajudar, estamos juntos, falando em nome da nossa Universidade”, reforçou.        

 

O pró-reitor da Agência de Inovação, Empreendedorismo, Pesquisa, Pós-Graduação e Internacionalização (Ageufma), Fernando Carvalho, expressou a satisfação pelo momento de união entre as instituições em prol do Marco Estadual e o desejo de que o documento possa ter uma abrangência ainda maior. “Eu entendo que o Marco Estadual tem que ser debatido amplamente, de forma a atender a todas as instituições, empresas, ao governo e a outras instituições que puderem contribuir com a questão inovação em nosso estado”, pontuou.

 

O reitor da UEMA acha de grande relevância fixar a ciência, tecnologia e inovação como sendo uma política de estado, essencial para o desenvolvimento social e econômico do Maranhão. “Peço que todos nós entremos nessa mesma frequência, que é a introdução de novos conceitos e novos arranjos institucionais que, efetivamente, nossa legislação ainda não contemplava, o conjunto de conceitos e novidades introduzido pelo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, com novos paradigmas para a criação de um ambiente mais dinâmico de inovação no país”, disse Gustavo Costa.

 

Na visão da reitora da Uemasul, a inovação e o empreendedorismo nas instituições de ensino superior têm que ser consolidados, com melhor formação nessas áreas. “Precisamos trabalhar nosso corpo discente e docente a serem empreendedores, porque do nada não se pode querer que se crie um núcleo que comece a praticar de imediato a inovação, e a aprovação de uma lei vai nos dar esse arcabouço jurídico muito importante”, analisou Elizabeth Fernandes.


Quer ver uma iniciativa bacana do seu curso divulgada na página oficial da UFMA? Envie informações à Ascom por WhatsApp (98) 98408-8434.
Siga a UFMA nas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram, YouTube e RadioTube

Revisão: Jáder Cavalcante

Lugar: Cidade Universitária Dom Delgado
Texto: Luciano Santos
Última alteração em: 07/09/2020 17:52

Mais fotos

Mais opções
Copiar url

Outras Notícias

20/10/2020

10:15

UFMA 54 anos: a Universidade na vanguarda do conhecimento científico no Maranhão SÃO LUÍS – Mais de cinco décadas de formação – estrutural e acadêmica – e de dedicação na missão de...

19/10/2020

18:10

Maranhão Júnior representa UFMA no Encontro Nacional de Empresários Juniores SÃO LUÍS – A Universidade Federal do Maranhão foi representada na 27ª edição do Encontro Nacional de Empresários Juniores (Enej)...

19/10/2020

18:00

Segunda do Português: "Juros" e "Em oito" 1. Juros Outro dia, durante o horário eleitoral, um candidato a prefeito cometeu uma infração ao bom português, com a seguinte...

19/10/2020

16:57

Programação Virtual do Festival Guarnicê tem diversas opções Publicado originalmente em 17/10/20, no Imirante.com. SÃO LUÍS - Corram, que ainda dá para assistir a todos os filmes de curta...

19/10/2020

16:48

No Rádio Ciência, diretor de centro de inovação faz ponderações sobre a educação maranhense no Ideb SÃO LUÍS - No dia 15 de setembro, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou...
Fim do conteúdo da sessão