Transtorno do Espectro Autista foi tema do I Simpósio de Educação Especial realizado em Imperatriz
Início do conteúdo da página
Início do conteúdo da página

Transtorno do Espectro Autista foi tema do I Simpósio de Educação Especial realizado em Imperatriz

Publicado em: 07/12/2017

IMPERATRIZ - O I Simpósio de Educação Especial e Inclusiva foi realizado durante os dias 4 e 5 de dezembro, no auditório da Universidade Federal do Maranhão, câmpus de Imperatriz. O evento foi organizado pela professora Flaviana de Oliveira Carvalho, pelos estudantes do 6º período de Pedagogia que cursam a disciplina Educação Especial e pelo Centro Acadêmico de Pedagogia Paulo Freire.

“Transtorno do Espectro Autista (TEA): diálogos Multidisciplinares” foi o tema geral do evento, e, durante a programação, foram debatidas questões acerca da temática que visa promover uma reflexão sobre o assunto. No primeiro dia, a professora Yara Lira Reginatto relatou sobre um estudo de caso envolvendo a questão do TEA, abordando os desafios e as possibilidades.

Já psicóloga Kiria Karine Ribeiro palestrou sobre a inclusão e diversidade na educação. Ela falou sobre a diferença entre integração e inclusão. “Quem é da educação especial sabe que inclusão e integração são conceitos diferentes. Na integração, você coloca a pessoa com necessidade especial inserida no contexto educacional. Na inclusão, não é só inserir o sujeito no contexto, mas é possibilitar, por todos os suportes teóricos e metodológicos, que esse sujeito tenha acesso ao conhecimento produzido pela humanidade”, explicou.

No último dia de programação, a professora Fany Valentim abordou sobre as perspectivas psicopedagógicas para o TEA, e a professora Paula Regina Dias levantou questões sobre os direitos que um autista possui, embasada na Lei N. 13.146/15.

A professora Flaviana Oliveira, mediadora da mesa, reforçou sobre a importância de discutir sobre o autismo no século XXI. Ela ressaltou que falar, debater, questionar e refletir sobre esse tema é fundamental para facilitar a identificação de casos com TEA, numa esfera educacional, em que esse público tem se inserido em maior número. “Com base nas políticas de inclusão, o público com TEA tem sido inserido em maior número na educação básica e, aos poucos, tem chegado à universidade, de forma que tenhamos condições de acolher, dialogar e encontrar melhores estratégias pedagógicas para que, de fato, sua inclusão seja possível”, refletiu.

 


Quer ver uma iniciativa bacana do seu curso divulgada na página oficial da UFMA? Envie informações à Ascom por WhatsApp (98) 98408-8434.
Siga a UFMA nas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram, YouTube e RadioTube

Revisão: Jáder Cavalcante

Lugar: Câmpus de Imperatriz
Texto: Gessiela Nascimento
Última alteração em: 07/12/2017 19:01

Mais fotos

Mais opções
Copiar url

Outras Notícias

16/10/2018

16:41

Curso de Relações Públicas lança a 15ª edição da newsletter MERCADO RP SÃO LUÍS – Desde 2008, os estudantes do 4º período do Curso de Comunicação Social, habilitação Relações Públicas da Universidade...

16/10/2018

16:22

Abertas as inscrições para monitoria do VII Fórum de Extensão SÃO LUÍS – Estão abertas as inscrições para monitoria do VII Fórum de Extensão da Universidade Federal do Maranhão (UFMA),...

16/10/2018

14:30

Conheça o Projeto Lençóis, que leva energia para comunidades afastadas por meio de microrredes SÃO LUÍS – Promovendo nos dias 25 e 26 o II Seminário de Microrredes Inteligentes, o Instituto de Energia...

16/10/2018

12:25

Abertas as inscrições para monitoria da XIII Conferência Brasileira de Comunicação Cidadã SÃO LUÍS - Estão abertas, até o dia 25 de outubro, as inscrições para monitoria da XIII Conferência Brasileira de...

16/10/2018

12:10

Iniciada a quarta edição da SENGE, o maior evento de engenharia do Maranhão SÃO LUÍS – Teve início, na tarde desta segunda-feira, 15, a VI Semana de Engenharia do Maranhão (Senge), maior evento...
Fim do conteúdo da sessão